Como o Batman derrotaria os personagens da Liga da Justiça | Contingência Agamenon

E se os membros da Liga da Justiça se tornassem inimigos do Batman? Será que ele teria um plano para essa situação? Que lugares ele usaria ...

segunda-feira, 12 de março de 2018

Gatos

Demorei a perceber o culto que existe aos gatos de nossa época. Sei que a palavra culto pode parecer um pouco demais para uns, e para outros é mais do que adequada.



Confesso que não sou tão velha assim, que talvez não tenha uma certa autoridade para falar isso para alguns, mas acredito que em um passado não tão distante, um animal de estimação tinha outra posição para os seres humanos. Claro que estou me referindo a regra e não a exceção. No geral o animal de estimação não era exatamente como um substituto de um filho ou de uma família inteira, como se é claramente hoje.

Cães e cavalos foram as únicas companhias do homem por séculos e não estou me referindo a isso.
Hoje me considero uma pessoa observadora, e foi a partir de uma reflexão que começou está analise. Comecei a encontrar elos e pontos de ligação entre as pessoas depressivas, carentes, frustradas e etc. O principal elo era que estas pessoas possuíam gatos em vez de uma família. Há uma certa linha do tempo, nessas pessoas que conheci e essa linha sempre acaba em gatos, é como se eles fossem um refúgio.

Pessoas? Gatos!

A primeira vez que notei isso foi em casal, primos meus, em que tinha um fato que era tratado como um bebê. Eles tinham alguns cachorros, mas o gato era rei da casa. Depois começou uma história de só votar em deputados/vereadores que defendesse a causa animal, mas até aí tudo bem. O problema é trocar um animal por seres humanos, a ponto de não se importar se há ou não pessoas morrendo em filas do SUS, e sim se há um pronto socorro 24 horas em cada cidade. Não estou dizendo que sou contra pronto socorros de animais, mas, que sou a favor de pronto socorros para seres humanos. Acho que vale contar uma situação engraçada deste casal: Todos os cachorros fugiram, quando eles decidiram ter uma filha. 

Depressão

Uma moça que estuda comigo [ mais de trinta anos, morando com os pais, empoderada, sem profissão e sem família (marido e filhos) ], tem vários gatos e eles são a fonte de sua felicidade, segundo ela. Com o tempo ela adquiriu uma depressão profunda e quase se matou. Passou um bom tempo a base de Rivotril e hoje já está melhor, os médicos atribuem a compra de um carro, como fonte de sua melhora. Mas, os gatos ainda são a fonte de sua felicidade, ainda são seu único motivo de sorrisos. Ela não possui nenhuma perspectiva de vida, é uma pessoa vazia e uma vez disse que eu não gosto de bichinhos, pelo fato de eu não ter um gato.

Cartas

No ano passado, 2017, comecei a me corresponder por cartas, através de um projeto em que você cadastra seu endereço e tem acesso a outros endereços, e desta forma pode enviar uma carta a uma pessoa desconhecida. Eu mandei 7 cartinhas para pessoas aleatórias, 5 no Brasil, 1 em Portugal e 1 para o Japão. A primeira carta que voltou era de uma moça que se parece com a moça que estuda comigo. Na minha carta eu fiz uma pergunta, parecida com está “O que te faz manter o equilíbrio, o que te faz continuar a vida?”. Ela respondeu que os gatos é que fazem ela manter o equilíbrio e continuar vivendo. São os filhos dela.

Sanidade mental

Recentemente uma outra garota da faculdade terminou seu relacionamento de três anos com outra garota. Como elas moravam juntas, a partir deste momento ela passou a morar sozinha. Só que ela estava muito sozinha sabe? Ela adotou uma gatinha, melhor dizendo adotou uma filha. Filha está que é o motivo de sua felicidade, segundo suas próprias palavras. Depois de quatro meses, seu amor pela gata é tão incondicional que ela até pensou em parar de trabalhar, para passar o dia em casa cuidando da gata. Vejamos que aqui ela está no ápice de sua sanidade mental, afinal é bem razoável largar o emprego para cuidar de uma gata, quando se mora sozinha de aluguel e não possui família próxima, é totalmente compreensível. 

Padres

Conheço também alguns Padres, que tem muitos gatos e os tratam como filhos e postam em suas redes sociais. Se passam um dia longe do gato, postam a foto com legenda #Saudades, demonstrando sua total carência.

Existem muitos outros casos, venham observando que estes casos vem se multiplicando a minha volta, e eu aqui só querendo arrumar um marido rs. Mas queria deixar registrada está reflexão, que certamente vou aprofunda-la futuramente e montar um documentário ou um dossiê. 



O mundo sempre esteve cheio de pessoas vazias, e de tempos em tempos eles trocam seus tapas buracos.
Postar um comentário

Categorias