Como o Batman derrotaria os personagens da Liga da Justiça | Contingência Agamenon

E se os membros da Liga da Justiça se tornassem inimigos do Batman? Será que ele teria um plano para essa situação? Que lugares ele usaria ...

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Aprendendo inglês com Quentin Tarantino


Como em todos os anos de minha vida desde que me lembro, estou tentando estudar inglês sozinha, em casa mesmo. Só no começo de 2016 eu inventei de fazer um curso em uma escola de inglês de verdade, mas não virou.

Eu adquiri um certo tipo de ranço da língua inglesa e de seus países, talvez isso faça com que eu não aprenda logo de uma vez, talvez. Uma língua que estressada e preguiçosa ao mesmo tempo. Estressada porque falam rápido demais e preguiçosa por não falarem todas as palavras de forma completa e formarem numeras contrações.

Aprendi latim muito rápido e não sinto "dores" para aprender italiano, francês e espanhol. Mas agora o inglês ... 

Nesses últimos tempos, tenho feito da seguinte forma: Assisto a filmes que já praticamente conheço as falas, em inglês claro, enquanto trabalho.

Dessa forma eu não vou conseguir ver todas as cenas, mas vou escutar todo um dialogo e ver as cenas de vez em quando. As legendas são variadas ora em português, ora em inglês. Desta forma as palavras feet massage ficaram na minha cabeça por um mês, rs.




Para você conhecer o filme, obviamente será necessário ter assistido ele várias vezes. Neste exercício, escolhi apenas alguns filmes de Quentin Tarantino, para ver se ia dar certo e confesso que é uma boa ideia. Os filmes que estou assistindo incansavelmente são:

Pulp fiction


Os oito odiados 


Django livre


Sim são somente três, mas eu os conheço bem, são companheiros de estudos de inglês. Então nessa empreitada, sugiro que escolha bons filmes, aquele filme que não enjoa, sabe? Pois se você enjoar não vai dar certo.




Deo Gratias.

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Planos para o futuro

E se eu disser que hoje  não coragem de proferir as mesmas palavras de um ou um dois anos atrás? E se disser que mudei meus planos? E que agora não quero planejar mais nada?

Chega a ser cômico mudar em tão pouco tempo, logo eu que achava que não mudaria nada, logo eu que achava que sabia das coisas. Agora logo eu, acho que não sei de mais nada.

Passar pela transição de ter mil planos e querer saber de mais nada, é passar por um momento de aridez. Este é ponto da vida que nos exige equilíbrio.

Antes tudo fazia sentido faculdade, trabalho, dinheiro, viagens, estabilidade emocional e tantas outras coisas. E qual sentido vejo nisso hoje? (...) Vejo todo sentido! Mas não se quero mais.

Será muito errado querer fazer pequenas coisas, mas bem feitas e aguardar a morte e ir para o Céu?

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Ctrl + W | Welcome 2018!


Para colocar a cabeça no eixo e para não pirar e ficar igual menino da foto da abaixo me fiz ausente por meses. Um novo ano, uma nova chance de recomeçar, não é mesmo?

Categorias